Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tribuna Benfiquista

Gigantes

por Guilherme Monteiro, em 06.04.16

Bayern 1-0 Benfica

 

alians.jpg

 

Os nossos jogadores foram gigantes no jogo de ontem. Chegar a casa do Bayern e não levar 5 como o Arsenal, Dinamo Zagreb, Dortmund, Wolfsburgo e Werden Breman, ou não levar 4 como a Juventus e Olympiacos, tudo esta época, acho que é digno de registo. E até nem se pode dizer que tenhamos tido sorte no resultado, porque na verdade tivemos oportunidades claras de marcar.

 

Na minha opinião a excelente exibição no Benfica começou no nosso treinador, Rui Vitória, ao escolher o mesmo onze que defrontou o Braga, deu um sinal, tanto para dentro como para o exterior, que o Benfica estava ali para disputar a eliminatória. Longe vão os tempos (felizmente) em que um treinador nosso colocava o David Luiz à esquerda, ou colocava dois médios defensivos, ou alterava a estratégia nestes jogos com os resultados que se sabem. Hoje temos um treinador que mantém a equipa fiel à sua identidade com performances bastantes interessantes. De referir também que o facto de andarmos a jogar duas vezes por semana quase desde Janeiro em nada tem afetado a nossa capacidade de lutar por todas as competições. Aquela lenga lenga que andámos a ouvir nos últimos seis anos que tínhamos que abdicar da Europa se não nunca poderíamos lutar pelo título é afinal mentira, tudo depende é da capacidade do treinador em arranjar forma de fazer uma gestão correta dos seus recursos humanos.

 

ruivitoria.jpg

 

Quanto ao jogo de ontem, não começou bem, logo aos dois minutos, quando ainda nos estávamos a posicionar no campo em função das movimentações do adversário, Vidal, após cruzamento na esquerda cabeceou para o primeiro golo do jogo. Naquela altura confesso que temi o pior e também imagino que os nossos rivais em Portugal esfregaram as mãos à espera de uma humilhação semelhante às deles, não podíamos estar mais enganados. Nós partimos para uma exibição bastante personalizada e conseguimos, a espaços, dividir o jogo com os bávaros. Foi uma performance em crescendo da nossa equipa, que à medida que o jogo foi avançando na primeira parte fomos secando o ataque do Bayern tendo conseguido inclusive algumas investidas perigosas no ataque. Numa delas Gaitan surge na esquerda e cruza atrasado tendo visto o seu passe intercetado por Lahm, que ao fazer um carrinho deixa o braço para trás alterando a trajetória da bola. Penalti claro que ficou por marcar que podia ditar um desfecho muito diferente à eliminatória, veremos em Lisboa.

 

11titular.jpg

 

Na segunda parte quando se pensava que o Bayern iria novamente encostar o Benfica às cordas, como fez nos primeiros dez minutos na primeira parte, o que se viu foi uma continuação do que estava a ser o jogo. Um jogo muito equilibrado e inclusive com o Benfica a criar duas grandes oportunidades de golo, ambas por Jonas.

Com o aproximar do final do jogo, o equilíbrio que se via no relvado contrastava com a goleada que os nossos adeptos estavam a dar nas bancadas, que grande apoio tivemos mais uma vez. Seja em Portugal, seja por essa Europa fora os jogadores nunca jogam sozinhos.

Nos últimos instantes do jogo, aproveitando o desgaste dos nossos jogadores, o Bayern acabou por criar duas boas oportunidades, uma por Ribery após bom trabalho na esquerda e outra escandalosamente falhada por Lewandowski que estando isolado em frente a Ederson fez um mau passe para Lahm.

 

jonas.jpg

 

 

Creio que a diferença mínima se aceita para o que se passou hoje no jogo, no entanto, penso que seria mais justo um 2-1, pois tivemos várias oportunidades para marcar, e tão bom que teria sido virmos de Munique com um golo marcado.

Todavia este resultado não nos torna mais favoritos para passar na eliminatória, muito pelo contrário, no jogo cá em Lisboa teremos que fazer uma exibição de idêntica qualidade para conseguirmos novamente discutir o jogo até ao fim.

 

Queria destacar a exibição de todos os nossos jogadores, em particular do Jonas, que foi um gigante tanto na frente, como à direita, como a esquerda, como no meio campo, seja a criar, seja a defender, tudo banhado a uma classe extraordinária. É um autêntico privilégio termos este mágico nos nossos quadros.

De referir que na segunda mão não podermos contar com ele, o arbitro teve bem em mostrar o amarelo ao Jonas. Não teve bem foi em não mostrar o amarelo ao Vidal que o deixava de fora da segunda mão e também em não assinalar diversas faltas a nosso favor, exibição muito caseirinha como já estamos habituados nestas andanças. Mas isso não serve de desculpa para nós, também fomos roubados em São Petersburgo e vencemos, portanto carrega Benfica. Estamos lá, estávamos vivos, vamos continuar a lutar.

 

 

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

1 comentário

Comentar post

Links

Outros blogs

Posts recentes